quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Vamos falar de masturbação feminina?

Garota desbocada é um espaço visualmente tosco, ideologicamente irreverente, em que posto artigos politicamente incorretos sobre as minhas insatisfações e inquietações. Se quiser rir e praguejar comigo, entre e fique à vontade RS



Lendo um texto divulgado pela página BBC Brasil, me espantei ao saber que o tema da masturbação feminina ainda é um tabu, até mesmo entre mulheres bem colocadas no mercado de trabalho, que exercem profissões mais descoladas como a de jornalista.

Não que eu seja um exemplo de liberalidade. Até bem pouco tempo, eu podia ser bem caretona. Mas mesmo assim, há muitos anos falo tranquilamente sobre o assunto e não tenho a menor vergonha ou receio de dizer que me masturbo desde os três anos de idade. Talvez me masturbasse antes, mas não me lembro.

Masturbação é uma fonte de autoconhecimento profunda e deliciosa. É prazer garantido. Obviamente, não tem a emoção de um ato sexual, mas é relaxante e faz bem para o corpo e a mente.

Masturbação é algo extremamente natural e saudável. Não praticá-la gera estresse. E com a vidinha corrida de merda que a maioria das mulheres leva, não me parece realmente necessário colocar mais uma fonte de estresse, não é?

Vou mais longe. Ter um parceiro sexual não invalida o ato de se masturbar. Uma coisa complementa a outra.  Não é porque o seu namorado ou marido é excelente na cama , que você não possa brincar com você mesma.

Vou mais longe ainda. Tem homens que curtem muito ver a sua parceira se masturbando , pois quando uma mulher se toca abertamente, sem tabus, ela revela sem palavras que ela não teme o próprio prazer.

Na verdade, a masturbação é a ponta de um iceberg gigante. O problema não está na masturbação em si. O problema de fato está no prazer feminino. Ainda é um tabu social a mulher sentir prazer, principalmente sem a ajuda de um homem.

Homens se masturbam normalmente porque homens são vistos como seres individuais, autônomos. Nós não. O nosso prazer precisa estar sempre ligado a um homem, a um relacionamento, a um amor. Muitas de nós ainda se valoram pelo homem que nos acompanham. Não falo isso do alto de uma petulante superioridade. Falo isso como alguém que já se vitimizou demais.

O singular existe apenas para o masculino. Nós não existimos como seres individuais. Um homem sozinho optou. Uma mulher sozinha não tem opção. Esta é ainda a crença de muitas pessoas.

A masturbação feminina provavelmente deixará de ser um assunto embaraçoso quando começarmos a nos ver com mais autonomia e liberdade.

 
 
 
Sílvia Marques é escritora, professora doutora e escreve regularmente na Obvious. Viciada em café, chocolate, vinho barato, dias nublados, filmes bizarros e pessoas profundas

5 comentários:

  1. Sílvia, eu concordo com tudo o que você disse, mas, sabe, eu acredito muito que há uma "contribuição do pensamento religioso nessa inibição ou vergonha feminina quanto ao sexo e se descobrir através da masturbação. Se você pesquisar alguns registros históricos, há algumas menções muito antigas sobre práticas femininas de mastubação e de outros atos sexuais que poderiam ser considerados bem "ousados" pra época. Acredito mesmo que o que mudou foi a normatização religiosa que delimitou o sagrado do profana, o certo do errado. Foi a verdadeira castração tanto da mulher como do homem, mas, claro, sobrou mais pra mulher que sempre precisou se travestur de extrena santidade, casar de branco, ser virgem e tudo que bem conhecemos até hoje. Enfim, babaquices que mais as tornam complexadas do que felizes e realizadas.

    Só terminando, não vou citar nada pra não correr o risco de estragar o comentário com algum cunho pornográfico (rs), mas, recocomendaria, homens e mulheres, que lessem sobre os inúmeros benefícios emocionais e físicos da masturbação, esquecendo quaisquer preconceitos. Esse, inclusive, é um dos segredos do sexo tântrico que, dizem (não quero me comprometer por aqui, rs), ser um dos mais prazerosos e entrelaçadores tanto de corpos e almas dos casais. Acho que vale muito essa dica! E, lógico, pros solteiros, boas diversões também, rs! :)

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Sim, concordo com vc! Nada a complementar! RS

    ResponderExcluir
  4. Gostaria de conhecer as 6 partes anteriores do ótimo artigo
    "Dez filmes para quem não tem preguiça de pensar- parte 7"
    Seria possível? Como fazer?

    ResponderExcluir
  5. Olá Ribamar, tudo bem? Muito obrigada pelo elogio. Envio link da minha página na Obvious. Vc pode acessar todos os meus artigos. Abs!

    http://obviousmag.org/cinema_pensante/autor/

    ResponderExcluir