domingo, 3 de abril de 2016

Status quo, vai ver se eu tô na esquina dançando o ula ula

Garota desbocada é um espaço visualmente tosco, ideologicamente irreverente, em que posto artigos politicamente incorretos sobre as minhas insatisfações e inquietações. Se quiser rir e praguejar comigo, entre e fique à vontade RS

Status quo, vai ver se eu tô na esquina dançando o ula ula e enxugando gelo. 

Ok.Ok.Ok. Algumas normas normas precisam existir, caso contrário quase todos nós ou todos já teríamos sido atropelados ao sair de casa em qualquer manhã ou tarde...se não houvesse normas, pouca gente sairia de casa de manhã.

Ok.Ok.Ok.  Algumas regras são necessárias e fazem muito bem, obrigada. Mas tem outras que francamente...nem para limpar a bunda servem. Algumas são indignas até para entrarem em contato com o nosso cocô. O mais fétido cocô se sentiria ofendido e magoado.

Não consigo mais levar a sério quem realmente acredita que a competência e a idoneidade de um profissional se faz por meio do cinza do terninho e da maquiagem nude, que em minha modesta e super pessoal opinião é uma merda. 

A mulherada passa produto em cima de produto,  perde meia hora de sono para passar um monte de meleca na cara e no final das contas ficam com jeito de quem acabou de sair do banho.  Podem me considerar perua, mas sou muito mais meu lápis preto trágico e meu batom vermelho estilo estou aqui me adorem ou eu deprimo.  Me "empiruo" em 5 minutos e pareço estar maquiada sem passar nada no rosto, sem perder preciosos minutos de descanso.

Se a pessoa gosta de roupa cinza e maquiagem nude é outro papo. Tudo bem. Gosto não se discute. O problema é achar que a maquiagem e a roupa definem a sua competência e idoneidade. É foda! 

Estou sem saco para gente que fica cagando regra o tempo todo , que consulta o grande manual da sociedade até para soltar um peido. A pessoa querer ler o manual, ainda vai. O problema é querer obrigar todo mundo a ler e a seguir como uma religião fanática.

Tem gente que faz o joguinho do status quo e até se diverte. Tem um lado cômico nesta dinâmica meio esquizofrênica. O triste mesmo é a pessoa acreditar no status quo como a um mantra que trará prosperidade e felicidade.  Como a uma corrente que trará algo de maravilhoso em sete dias. 

Sim, tô de saco cheio do status quo que fica enfiando o dedinho sujo nas melhores coisas da vida, nas únicas coisas que realmente fazem a nossa vida ter algum sentido. 






Sílvia Marques é escritora, professora doutora e escreve regularmente na Obvious.  Viciada em café, chocolate, vinho barato, dias nublados, filmes bizarros e pessoas profundas. 





























4 comentários:

  1. As pessoas precisam entender que a qualidade não está na embalagem.E sim, no conteúdo. Nem sempre ter "uma vida de sucesso" significa ser um grande empresário e podre de rico. Podemos ser feliz com tão pouco e fazendo aquilo que a gente gosta. Um kg de massa corrida na cara de uma mulher não definine sua capacidade intelectual e seu desempenho. Isso de "status quo" algo como uma criança mimada. Que é o dono de um jogo (que não sabe jogar) e fica ditando regras pra não sair da jogada e perder a partida. Caso o contrário ela toma o brinquedo e ninguém joga. É uma grande bosta!

    ResponderExcluir
  2. Sempre resumindo e recriando minhas ideias de forma genial e colorida! Muito obrigada. Vc já é parte indispensável do Garota desbocada, Darlin Darling.

    ResponderExcluir
  3. Corei com esse comentário. Fiquei mais vermelha e mais valorizada do que o tomate nesses tempos de alta de preço. Me sentindo a tinta da caneta da escritora. Ou melhor, me sentindo indispensável assim como o teclado do Notebook dela. Isso foi lindo de se ler. Obrigada! :)

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir